sexta-feira, 8 de junho de 2018

Mais de 30% das ferrovias brasileiras é inutilizada

Mais de 30% da extensão de trilhos ferroviários do Brasil é inutilizada, de acordo com um estudo realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com base em dados da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O estudo integra 43 documentos sobre temas estratégicos que a CNI entregará aos candidatos à Presidência da República. Uma das sugestões é que o caminho para a superação dos gargalos no setor requer aumento da conexão do sistema, do tamanho da malha e da velocidade média dos comboios.
Segundo os documentos, os contratos de concessão realizados na década de 1990 geraram problemas como a falta de concorrência no mercado e falhas na interconexão das malhas, além de dificuldades específicas envolvendo as empresas.  O gerente executivo de Infraestrutura da CNI, Wagner Cardoso, aponta que uma das formas de buscar a recuperação do setor é autorizar a prorrogação dos contratos de concessão, de modo que as concessionárias se tornem obrigadas a reservar uma parcela da capacidade da ferrovia para compartilhamento, além de investir valores preestabelecidos na melhoria e ampliação das malhas.