quinta-feira, 19 de julho de 2018

Trio matou Vitória Gabrielly mesmo após saber que era alvo errado, diz MP

Os três presos pelo sequestro e morte da adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, agiram mesmo sabendo que ela era o alvo errado, segundo a denúncia do Ministério Público (MP) aceita pela Justiça na última terça-feira (17). De acordo com a denúncia, o casal Bruno Marcel Oliveira, de 33 anos, e Mayara Borges de Abrantes, de 24, e o servente de pedreiro Julio Cesar Lima Ergesse, de 24, se mostraram "incapazes" de conviver em sociedade, além de contarem com "traços de personalidade animalesca" por sequestrarem e matarem a jovem "mesmo sabendo que não possuía nenhum vínculo com a situação que pretendiam ‘resolver’".
Ainda conforme a investigação, o "alvo" do trio seria outra jovem, que era irmã de um homem que devia R$ 7 mil a traficantes da região.  A 1ª Vara Criminal de São Roque aceitou a denúncia contra os três acusados. Eles responderão pelos crimes de sequestro, homicídio qualificado por motivo torpe, fútil, meio cruel, recurso que impediu a defesa da vítima e ocultação de cadáver.

O caso

Moradora de Araçariguama, no interior de São Paulo, Vitória Gabrielly desapareceu em 8 de junho após sair para andar de patins. Ela foi encontrada no dia 16, mas a perícia constatou que ela foi morta no mesmo dia em que desapareceu. Em laudo, o Instituto Médico Legal (IML) concluiu que a causa da morte de Vitória foi asfixia mecânica com constrição cervical - que teria sido provocada por um golpe "mata-leão".  Ainda segundo o laudo, a jovem tinha marcas que indicam que ela ficou amarrada pelos braços e tornozelos, o que indica que ela pode ter sido deixada presa a uma árvore antes de ser morta.